1. Calculadora de senioridade – Como saber o seu nível de senioridade
  2. Absenteísmo no trabalho: entenda as causas e como controlá-lo
  3. Recrutamento externo: as vantagens que o RH precisa conhecer!
  4. Time de Inside Sales: 3 dicas para você contratar melhor!
  5. Recrutamento interno: suas maiores vantagens e como realizá-lo
  6. Employer Branding: o que é, como aplicar e a sua importância
  7. Cultura organizacional de uma empresa: qual é sua importância?
  8. Fit cultural: como usá-lo para selecionar o melhor candidato
  9. Entrevista por competências: o que é, como usar e dicas práticas
  10. Endomarketing nas empresas: uma nova prática do RH estratégico
  11. O que é turnover: guia completo para reduzir a rotatividade
  12. Produtividade no trabalho: 9 dicas para produzir mais e melhor
  13. Atração e Retenção de Talentos: descubra como se destacar!
  14. Engajamento de equipes: como manter os colaboradores motivados?
  15. Indicadores de RH: o segredo para tornar seu RH estratégico
  16. [Case de Sucesso] De candidato a Head de CS e Recrutador
  17. Avaliação de desempenho por competências: faça ou perca talentos!
  18. Como analisar um currículo para sempre acertar nas contratações?
  19. Experiência do candidato: saiba como nunca mais perder talentos!
  20. Soft skills e Hard skills: você sabe qual é mais importante?
  21. Bem estar no trabalho: seus colaboradores estão MESMO felizes?
  22. ETALENT: 4 dicas para automatizar a operação e ter um DP estratégico
  23. RH estratégico: a tendência de mercado que você precisa conhecer
  24. Benefícios Trabalhistas válidos para o final do ano: quais são?
  25. Mau Recrutamento: conheça suas principais consequências
  26. HR Insights apresenta: Mark Roberge
  27. Contratar em marketing digital: como saber se um candidato tenta enrolar?
  28. Estratégias de recrutamento e seleção: conheça as melhores!
  29. Por que as pessoas trabalham?
  30. Produtividade na Empresa: o impacto da qualidade de vida dos funcionários
  31. Business partner: o que é e como você pode se preparar para assumir essa posição
  32. Recrutamento e Seleção: o que é? Do básico ao avançado
  33. Conteúdo prático e de alto nível para RHs que não se contentam em ser operacionais
  34. Como tornar seu RH estratégico? Descubra formas práticas de conseguir!
  35. Porque o RH deve parar de responder ao CFO em 2019
  36. 7 sinais de que a sua empresa não faz os funcionários se sentirem valorizados
  37. Um guia de sustentabilidade para RHs que querem ser protagonistas
  38. Outplacement: o que é e como conduzir da melhor forma?
  39. Panorama de RH no Brasil busca gerar novas percepções para profissionais da área
  40. Empresas de headhunters: ajudam no recrutamento e…
  41. Seleção de pessoal: o que é, objetivos e diferença entre recrutamento
  42. Técnicas de Recrutamento e Seleção: como recrutar e selecionar no mercado de 2019?
  43. Como um plano de carreira pode motivar a sua equipe?
  44. Técnicas para uma boa gestão de pessoal: 7 dicas para uma gestão de sucesso
  45. Salário emocional: como motivar funcionários através da remuneração?
  46. Inteligência de mercado – saiba o que é e como identificar em um candidato
  47. Engajamento e colaboração na empresa
  48. [Vídeo] People.Tech – Gestão e Cultura Organizacional
  49. Recrutamento — O terceiro atributo crucial de uma startup
  50. Recrutamento em vendas e marketing: por que decidimos focar neles?
  51. Gestão de Pessoas: seis processos para você conhecer
  52. 6 Insights de profissionais que estão moldando um novo cenário de RH
  53. One to One
  54. Indicadores de recrutamento e seleção
  55. Curso soft skills
  56. People.Tech: Aquisição e Desenvolvimento de Talentos
  57. Ferramentas para RH gratuitas
  58. Como Identificar Talentos
  59. Recrutamento Online: o que é e vantagens
  60. Recrutamento e seleção de talentos: como conseguir os melhores?
  61. Redes sociais no recrutamento: como procurar ótimos profissionais online [Guest Post]
  62. Tipos de Recrutamento: Interno, externo, misto ou online?
  63. Seleção por competências: O que é, benefícios e como fazer
  64. Recrutamento e seleção em quatro passos
  65. Feedback no processo seletivo: qual é a importância?
  66. Job description: passo a passo para elaborar
  67. Consultoria de RH – O que é e quais tecnologias substituem?
  68. Retenção de talentos: 9 hacks que você nunca imaginou que ajudariam a reter seus talentos
  69. Inteligência Artificial no Recrutamento: o que muda?
  70. Recrutamento e Seleção de líderes: devo usar uma empresa de R&S?
  71. Headhunters: o que são e como eles podem ajudar sua empresa
  72. Banco de talentos: 5 vantagens em contratar empresas de recrutamento
  73. Startup e Recrutamento pelos olhos de um grande investidor americano
  74. Otimizar o recrutamento e seleção: as melhores práticas!
  75. Ferramentas de vendas: 7 para começar a usar agora!
  76. Gestão por competência: a prática que irá revolucionar a GP
  77. O que recrutar tem a ver com vender? | O processo seletivo e seu principal erro
  78. Processos seletivos – atração de talentos na Google e Ambev
  79. Softwares para RH: os melhores para a sua empresa
  80. Como contratar bem? 10 erros para passar longe
  81. Talent Acquisition e Employer Branding em números
  82. Employer Branding e a influência do processo seletivo
  83. Recrutamento com tecnologia: as novas tecnologias e como isso afeta a sua área
  84. Diplomas versus talento: o que priorizar no recrutamento?
  85. RH em startups: quando é necessária uma área de RH?
  86. Budget de Recrutamento: O que incluir no recrutamento de marketing e vendas?
  87. Marketing e Vendas: como conseguir os melhores profissionais?
  88. Como avaliar candidatos em entrevistas feitas por videoconferência
  89. Retenção de Talentos: Como reter jovens talentos na sua empresa
  90. Simulação de vendas: estratégia para contratar um consultor de vendas
  91. Livros para RH: 5 obras imprescindíveis para você
  92. Como Contratar Vendedores – O Guia Completo
  93. Customer Success: o Sucesso do Cliente em Foco
  94. Como Treinar e Rampar Times de Alta Performance
  95. Time de Vendas de Alta Performance

Você já se viu diante de um colaborador que começou faltando uma… Duas… Três vezes? E, acompanhado às faltas regulares, ele chegava todo dia atrasado e ia embora dia sim dia não mais cedo? Então você com certeza esteve diante de um caso de absenteísmo no trabalho.

Apesar de evidentemente o RH acompanhar de perto as faltas de um colaborador, o problema do absenteísmo começa muito antes. Talvez com alguns leves atrasos que ficaram mais frequentes…

Fato é que o absenteísmo no trabalho tem consequências muito sérias e causas tão preocupantes quanto. Podendo ser, inclusive, gerado por falhas da própria empresa.

Quer entender melhor esse conceito, seus impactos, causas e como reduzí-lo? Acompanhe!

O que é absenteísmo no trabalho?

O absenteísmo no trabalho nada mais é do que a ausência do colaborador na empresa. Seja por faltas, atrasos ou até sair antes do seu horário sem comunicado prévio. Tais práticas, se feitas com frequência, podem ter um grande impacto nos resultados das instituições.

Apesar de eventuais faltas e, especialmente, atrasos, parecerem inofensivos, eles podem indicar problemas muito graves. Além de, se não contidos, terem efeito cumulativo.

Mas vamos entender isso em maiores detalhes nos próximos tópicos.

Os impactos do absenteísmo no trabalho

A ausência e atraso de funcionários por si só já desperta preocupação, não é? Mas quando paramos para pensar no impacto que essas faltas e “deslizes” no horário têm, conseguimos sentir melhor sua real seriedade.

Segundo um artigo publicado na Forbes, o absenteísmo pode ter um impacto de aproximadamente R$10.335 por ano a cada funcionário contratado! Faça as contas e você conseguirá sentir na pele o quanto essa taxa, quando descontrolada, pode afetar a saúde da sua empresa.

Além disso, alguns outros impactos negativos (não diretamente financeiros)  do absenteísmo são:

  • Diminuição da produtividade
  • Queda na qualidade dos serviços prestados
  • Sobrecarga dos gestores – ao terem que repreender com frequência essas ausências.

4 principais causa do absenteísmo no trabalho

O absenteísmo é, claramente, consequência de algum gatilho negativo despertado no colaborador. Muitas vezes esse gatilho está na vida pessoal do profissional, mas tão frequentemente quanto – e mais preocupante – é quando essa ausência é causada por fatores internos da empresa.

Por isso, traremos aqui as 5 principais causas do absenteísmo que podem estar vindo da sua empresa:

Clima organizacional tóxico

Um clima organizacional ruim, com certeza, está entre os principais vilões do absenteísmo no trabalho. Especialmente se a ausência parece estar generalizada em algum setor da sua empresa ou até nela como um todo.

Um clima organizacional tóxico pode revelar um problema nas relações interpessoais dentro da instituição ou até da cultura organizacional em questão.

Doenças ocupacionais

Doenças ocupacionais são geralmente subestimadas. Problemas com a ergonomia que geram dores, estresse excessivo ou até doenças psicossomáticas entre os colaboradores são causa de – MUITA – preocupação. Elas revelam que algo deve ser melhorado na sua empresa com urgência!

Processo de seleção ineficiente

Apesar de ser menos abordada que as outras causas, um processo seletivo que contrata um funcionário sem fit cultural, por exemplo, pode gerar absenteísmo. E, o pior de tudo, é que esta causa de absenteísmo seria, provavelmente, uma das mais “simples” de se prevenir.

Um processo de Recrutamento e Seleção adequado pode não apenas reduzir taxas de turnover, mas escolher os funcionários adequados para terem um ótimo desempenho na sua empresa.

Falta de motivação

Por fim, a falta de motivação é causa clara para a ausência de colaboradores. Evidentemente, se os profissionais não se sente valorizados ou não gostam do seu trabalho e/ou ambiente de trabalho, eles não vão se sentir estimulados a terem uma assídua presença.

Como reduzir as faltas e atrasos dos colaboradores?

Agora que sabemos o conceito de absenteísmo, seus impactos e principais causas, vamos à melhor parte: como reduzí-lo!

Então, sem mais delongas, aqui 5 práticas fundamentais para reduzir o absenteísmo no trabalho:

Invista no bem estar dos funcionários

Vamos começar com o mais evidente: investir no bem estar dos funcionários é fundamental. Ter a ergonomia adequada dentro da empresa e fornecer um ambiente tranquilo e confortável não devem ser tratados como um diferencial.

Como você espera que seu colaborador esteja comprometido a ir à sua empresa se ele não possui a estrutura adequada para trabalhar? Ou sinta, de alguma forma, que a empresa não se preocupa com seu bem estar?

Cuide do clima organizacional

Ter um clima organizacional positivo é fundamental para o engajamento e a motivação dos colaboradores. Não é possível – nem justo – esperar comprometimento e presença assídua de profissionais num ambiente emocionalmente exaustivo.

Ofereça boas condições de trabalho

É fundamental para qualquer empresa investir em ergonomia e outros benefícios institucionais, como vale refeição, convênios, etc. Além de ser uma forma de demonstrar a valorização dos seus funcionários, essas práticas também servem para prevenir doenças ocupacionais.

Falando nelas…

Atenção às doenças ocupacionais!

O cuidado com a saúde dos colaboradores, apesar de não ser obrigação exclusiva da empresa, faz parte das suas responsabilidades. Ao notar que muitos funcionários estão reclamando de dor nas costas, estresse ou até mesmo ansiedade e depressão… Você tem fortes sinais de que deve investir mais na qualidade de vida no trabalho.

Flexibilize a jornada de trabalho

Pode soar um pouco contraditório, mas a flexibilidade na jornada de trabalho tende a diminuir o absenteísmo. Ao dar o “poder” – e ao mesmo tempo a responsabilidade – ao funcionário de gerir seu tempo, você pode colher resultados muito positivos.

Isso, é claro, contanto que essa flexibilidade não prejudique na produção e entrega de metas e resultados deste funcionário.

Mas, que esteja claro desde já: horas extras em demasia são muito mais prejudiciais do que benéficas.

O absenteísmo no trabalho, infelizmente, ainda é um problema muito comum mesmo nas maiores e mais tradicionais empresas. E seu impacto negativo na instituição não pode ser ignorado.

Mas, o que merece ainda mais atenção são as causas dessa ausência por parte dos colaboradores. Elas podem indicar outros problemas da empresa que, muitas vezes, têm urgência de serem consertados!

Você está comprometido em fazer seus funcionários serem mais assíduos e se sentirem bem trabalhando na sua empresa? Conte para nós nos comentários! 🙂

Tags:

Related Article

0 Comments

Leave a Comment