1. Endomarketing nas empresas: uma nova prática do RH estratégico
  2. O que é turnover: guia completo para reduzir a rotatividade
  3. Produtividade no trabalho: 9 dicas para produzir mais e melhor
  4. Atração e Retenção de Talentos: descubra como se destacar!
  5. Engajamento de equipes: como manter os colaboradores motivados?
  6. Indicadores de RH: o segredo para tornar seu RH estratégico
  7. [Case de Sucesso] De candidato a Head de CS e Recrutador
  8. Avaliação de desempenho por competências: faça ou perca talentos!
  9. Como analisar um currículo para sempre acertar nas contratações?
  10. Experiência do candidato: saiba como nunca mais perder talentos!
  11. Soft skills e Hard skills: você sabe qual é mais importante?
  12. Bem estar no trabalho: seus colaboradores estão MESMO felizes?
  13. ETALENT: 4 dicas para automatizar a operação e ter um DP estratégico
  14. RH estratégico: a tendência de mercado que você precisa conhecer
  15. Benefícios Trabalhistas válidos para o final do ano: quais são?
  16. Mau Recrutamento: conheça suas principais consequências
  17. HR Insights apresenta: Mark Roberge
  18. Contratar em marketing digital: como saber se um candidato tenta enrolar?
  19. Melhores estratégias de recrutamento e seleção
  20. Por que as pessoas trabalham?
  21. Produtividade na Empresa: o impacto da qualidade de vida dos funcionários
  22. Business partner: o que é e como você pode se preparar para assumir essa posição
  23. Recrutamento e Seleção: o que é? Do básico ao avançado
  24. Conteúdo prático e de alto nível para RHs que não se contentam em ser operacionais
  25. RH estratégico: fazendo sua carreira decolar!
  26. Porque o RH deve parar de responder ao CFO em 2019
  27. 7 sinais de que a sua empresa não faz os funcionários se sentirem valorizados
  28. Um guia de sustentabilidade para RHs que querem ser protagonistas no tema – Por Ricardo Voltolini
  29. Outplacement: o que é e como conduzir da melhor forma?
  30. Panorama de RH no Brasil busca gerar novas percepções para profissionais da área
  31. Empresas de headhunters: ajudam no recrutamento e…
  32. Seleção de pessoal: o que é, objetivos e diferença entre recrutamento
  33. Técnicas de Recrutamento e Seleção: como recrutar e selecionar no mercado de 2019?
  34. Como um plano de carreira pode motivar a sua equipe?
  35. Técnicas para uma boa gestão de pessoal: 7 dicas para uma gestão de sucesso
  36. Salário emocional: como motivar funcionários através da remuneração?
  37. Inteligência de mercado – saiba o que é e como identificar em um candidato
  38. Engajamento e colaboração na empresa
  39. [Vídeo] People.Tech – Gestão e Cultura Organizacional
  40. Recrutamento — o terceiro atributo crucial de uma startup
  41. Recrutamento em vendas e marketing: por que decidimos focar neles?
  42. Gestão de Pessoas: seis processos para você conhecer
  43. 6 Insights de profissionais que estão moldando um novo cenário de RH
  44. One to One
  45. Indicadores de recrutamento e seleção
  46. Curso soft skills
  47. People.Tech: Aquisição e Desenvolvimento de Talentos
  48. Ferramentas para RH gratuitas
  49. Como Identificar Talentos
  50. Recrutamento Online: o que é e vantagens
  51. Recrutamento e seleção de talentos: como conseguir os melhores?
  52. Redes sociais no recrutamento: como procurar ótimos profissionais online [Guest Post]
  53. Recrutamento externo: descubra suas vantagens e desvantagens!
  54. Tipos de Recrutamento: Interno, externo, misto ou online?
  55. Seleção por competências: O que é, benefícios e como fazer
  56. Recrutamento e seleção em quatro passos: Como funciona a área de Operações da TalentBrand (e porque ela é fundamental para os resultados)
  57. Feedback no processo seletivo: qual é a importância?
  58. Job description: passo a passo para elaborar
  59. Consultoria de RH – O que é e quais tecnologias substituem?
  60. Retenção de talentos: 9 hacks que você nunca imaginou que ajudariam a reter seus talentos
  61. Inteligência Artificial no Recrutamento: o que muda?
  62. Recrutamento e Seleção de líderes: devo usar uma empresa de R&S?
  63. Headhunters: o que são e como eles podem ajudar sua empresa
  64. Banco de talentos: 5 vantagens em contratar empresas de recrutamento
  65. Startup e Recrutamento pelos olhos de um grande investidor americano
  66. Recrutamento e Seleção na empresa: 5 motivos para otimizar
  67. Ferramentas de vendas: 7 para começar a usar agora!
  68. Gestão por competência: a prática que irá revolucionar a GP
  69. O que recrutar tem a ver com vender? | O processo seletivo e seu principal erro
  70. Processos seletivos – cases de sucesso: atração de talentos na Google e Ambev
  71. Softwares para o RH: os melhores para a sua empresa
  72. Como contratar bem? 10 erros para passar longe
  73. Talent Acquisition e Employer Brand em números
  74. Employer Branding e a influência do processo seletivo
  75. Recrutamento com tecnologia: as novas tecnologias e como isso afeta a sua área
  76. Diplomas versus talento: o que priorizar no recrutamento?
  77. RH em startups: quando é necessária uma área de RH?
  78. Budget de Recrutamento: O que incluir no recrutamento de marketing e vendas?
  79. Marketing e Vendas: como conseguir os melhores profissionais?
  80. Como avaliar candidatos em entrevistas feitas por videoconferência
  81. Retenção de Talentos: Como reter jovens talentos na sua empresa
  82. Como contratar um consultor de vendas usando simulação
  83. Livros para RH: 5 obras imprescindíveis para você
  84. Como Contratar Vendedores – O Guia Completo
  85. Customer Success: o Sucesso do Cliente em Foco
  86. Como Treinar e Rampar Times de Alta Performance
  87. Time de Vendas de Alta Performance
sexta-feira, março 22, 2019
  1. Endomarketing nas empresas: uma nova prática do RH estratégico
  2. O que é turnover: guia completo para reduzir a rotatividade
  3. Produtividade no trabalho: 9 dicas para produzir mais e melhor
  4. Atração e Retenção de Talentos: descubra como se destacar!
  5. Engajamento de equipes: como manter os colaboradores motivados?
  6. Indicadores de RH: o segredo para tornar seu RH estratégico
  7. [Case de Sucesso] De candidato a Head de CS e Recrutador
  8. Avaliação de desempenho por competências: faça ou perca talentos!
  9. Como analisar um currículo para sempre acertar nas contratações?
  10. Experiência do candidato: saiba como nunca mais perder talentos!
  11. Soft skills e Hard skills: você sabe qual é mais importante?
  12. Bem estar no trabalho: seus colaboradores estão MESMO felizes?
  13. ETALENT: 4 dicas para automatizar a operação e ter um DP estratégico
  14. RH estratégico: a tendência de mercado que você precisa conhecer
  15. Benefícios Trabalhistas válidos para o final do ano: quais são?
  16. Mau Recrutamento: conheça suas principais consequências
  17. HR Insights apresenta: Mark Roberge
  18. Contratar em marketing digital: como saber se um candidato tenta enrolar?
  19. Melhores estratégias de recrutamento e seleção
  20. Por que as pessoas trabalham?
  21. Produtividade na Empresa: o impacto da qualidade de vida dos funcionários
  22. Business partner: o que é e como você pode se preparar para assumir essa posição
  23. Recrutamento e Seleção: o que é? Do básico ao avançado
  24. Conteúdo prático e de alto nível para RHs que não se contentam em ser operacionais
  25. RH estratégico: fazendo sua carreira decolar!
  26. Porque o RH deve parar de responder ao CFO em 2019
  27. 7 sinais de que a sua empresa não faz os funcionários se sentirem valorizados
  28. Um guia de sustentabilidade para RHs que querem ser protagonistas no tema – Por Ricardo Voltolini
  29. Outplacement: o que é e como conduzir da melhor forma?
  30. Panorama de RH no Brasil busca gerar novas percepções para profissionais da área
  31. Empresas de headhunters: ajudam no recrutamento e…
  32. Seleção de pessoal: o que é, objetivos e diferença entre recrutamento
  33. Técnicas de Recrutamento e Seleção: como recrutar e selecionar no mercado de 2019?
  34. Como um plano de carreira pode motivar a sua equipe?
  35. Técnicas para uma boa gestão de pessoal: 7 dicas para uma gestão de sucesso
  36. Salário emocional: como motivar funcionários através da remuneração?
  37. Inteligência de mercado – saiba o que é e como identificar em um candidato
  38. Engajamento e colaboração na empresa
  39. [Vídeo] People.Tech – Gestão e Cultura Organizacional
  40. Recrutamento — o terceiro atributo crucial de uma startup
  41. Recrutamento em vendas e marketing: por que decidimos focar neles?
  42. Gestão de Pessoas: seis processos para você conhecer
  43. 6 Insights de profissionais que estão moldando um novo cenário de RH
  44. One to One
  45. Indicadores de recrutamento e seleção
  46. Curso soft skills
  47. People.Tech: Aquisição e Desenvolvimento de Talentos
  48. Ferramentas para RH gratuitas
  49. Como Identificar Talentos
  50. Recrutamento Online: o que é e vantagens
  51. Recrutamento e seleção de talentos: como conseguir os melhores?
  52. Redes sociais no recrutamento: como procurar ótimos profissionais online [Guest Post]
  53. Recrutamento externo: descubra suas vantagens e desvantagens!
  54. Tipos de Recrutamento: Interno, externo, misto ou online?
  55. Seleção por competências: O que é, benefícios e como fazer
  56. Recrutamento e seleção em quatro passos: Como funciona a área de Operações da TalentBrand (e porque ela é fundamental para os resultados)
  57. Feedback no processo seletivo: qual é a importância?
  58. Job description: passo a passo para elaborar
  59. Consultoria de RH – O que é e quais tecnologias substituem?
  60. Retenção de talentos: 9 hacks que você nunca imaginou que ajudariam a reter seus talentos
  61. Inteligência Artificial no Recrutamento: o que muda?
  62. Recrutamento e Seleção de líderes: devo usar uma empresa de R&S?
  63. Headhunters: o que são e como eles podem ajudar sua empresa
  64. Banco de talentos: 5 vantagens em contratar empresas de recrutamento
  65. Startup e Recrutamento pelos olhos de um grande investidor americano
  66. Recrutamento e Seleção na empresa: 5 motivos para otimizar
  67. Ferramentas de vendas: 7 para começar a usar agora!
  68. Gestão por competência: a prática que irá revolucionar a GP
  69. O que recrutar tem a ver com vender? | O processo seletivo e seu principal erro
  70. Processos seletivos – cases de sucesso: atração de talentos na Google e Ambev
  71. Softwares para o RH: os melhores para a sua empresa
  72. Como contratar bem? 10 erros para passar longe
  73. Talent Acquisition e Employer Brand em números
  74. Employer Branding e a influência do processo seletivo
  75. Recrutamento com tecnologia: as novas tecnologias e como isso afeta a sua área
  76. Diplomas versus talento: o que priorizar no recrutamento?
  77. RH em startups: quando é necessária uma área de RH?
  78. Budget de Recrutamento: O que incluir no recrutamento de marketing e vendas?
  79. Marketing e Vendas: como conseguir os melhores profissionais?
  80. Como avaliar candidatos em entrevistas feitas por videoconferência
  81. Retenção de Talentos: Como reter jovens talentos na sua empresa
  82. Como contratar um consultor de vendas usando simulação
  83. Livros para RH: 5 obras imprescindíveis para você
  84. Como Contratar Vendedores – O Guia Completo
  85. Customer Success: o Sucesso do Cliente em Foco
  86. Como Treinar e Rampar Times de Alta Performance
  87. Time de Vendas de Alta Performance

Turnover é um indicador-chave de RH que mede a rotatividade dos colaboradores. Ou seja, ele mensura a porcentagem de funcionários que saíram de uma empresa em um determinado período de tempo. Esse índice é essencial para diagnosticar a saúde da gestão de pessoas em uma organização.

A rotatividade de colaboradores, apesar de ser natural em uma empresa, está preocupantemente em alta no cenário atual, não é mesmo? Afinal, com uma taxa de crescimento de 38% no mundo TODO, é impossível não nos preocuparmos. Mas você realmente compreende o que é turnover?

E se eu te dissesse que com medidas simples você consegue reduzir a sua taxa de rotatividade de forma relevante?

Pois é! Essa empreitada não é fácil, mas é definitivamente alcançável. Para ajudá-lo nessa missão, abordaremos os seguintes tópicos:

  • O que é turnover
  • Tipos de turnover
  • Principais causas da rotatividade
  • Quanto um turnover custa para minha empresa?
  • Como posso calcular turnover?
  • Impactos negativos da alta rotatividade
  • Como diminuir o turnover na minha empresa?

Cubriremos desde a definição mais aprofundada desse importante indicador de RH, até suas causas, custo, cálculo, impactos e, obviamente, como diminuí-lo.

Acompanhe conosco!

O que é turnover?

Turnover é um indicador-chave de RH que mede a rotatividade dos colaboradores. Ou seja, ele mensura a porcentagem de funcionários que saíram de uma empresa em um determinado período de tempo. Esse índice é essencial para diagnosticar a saúde da gestão de pessoas em uma organização.

Esse fenômeno é extremamente normal dentro de uma instituição. Mas o problema começa quando a taxa de pessoas que pedem demissão é alta comparada a de pessoas que entram na empresa.

Ou seja, de forma geral, nunca é bom que muitas pessoas saiam dentro de um curto espaço de tempo da sua empresa. Principalmente se o número de pessoas que entram nesse período não é alto.

Mas para entender melhor quando um turnover é prejudicial ou quando ele pode até te trazer vantagens (!), precisamos entender seus diferentes tipos.

Confira:

Tipos de turnover

Mais importante do que entender a taxa do turnover, é entender a motivação por trás de uma demissão. Afinal, o turnover é um sintoma e, assim como com doenças, devemos ir atrás do real problema.

Por exemplo, há turnovers que até trazem vantagem para empresa. Mas vamos discutir isso mais a fundo a seguir.

As 4 principais categorias de turnover são:

Turnover voluntário

O turnover voluntário acontece quando um colaborador se desliga da empresa de forma voluntária. Essa categoria de rotatividade é a que você deve mais se atentar, pois esta denuncia uma má gestão de pessoas.

Um desligamento voluntário de funcionário pode acontecer por motivos como:

  • Conflitos entre gestor-gerido
  • Aparição de uma oferta de emprego mais atrativa
  • Incompatibilidade com a cultura da empresa
  • Clima organizacional ruim e/ou ambiente de trabalho tóxico
  • Falta de plano de carreira e possibilidade de crescer dentro da empresa

Turnover involuntário

No caso do turnover involuntário, a decisão de desligamento do colaborador vem da própria empresa. Nessa situação, a instituição deve arcar com as despesas garantidas por lei aos funcionários CLT.

Ou seja, apesar de não acusar diretamente uma falha no processo de gestão de pessoas, ela acaba sendo também muito custosa.

O desligamento involuntário de colaboradores pode se dar em situações como:

  • Dificuldade financeira da empresa
  • Um desempenho aquém do esperado do colaborador
  • Falta de fit cultural
  • Conflitos internos  

Turnover funcional

O turnover funcional ocorre quando um colaborador com um baixo desempenho pede demissão.

Neste caso, trata-se de um processo benéfico à empresa, pois a poupa de despesas relacionadas ao processo de demissão. Além disso, abre espaço para um funcionário mais engajado assumir a vaga em questão.

Turnover disfuncional

Já o turnover disfuncional é o oposto do anterior. Ele acontece quando um funcionário de alto desempenho, descontente com seu emprego atual, pede demissão.

Nesse caso, a empresa sai em muita desvantagem, pois acaba de perder um grande talento. Não só será um “desperdício”, como também uma tarefa árdua – e muitas vezes cara – achar alguém que produza tão bem.

Principais causas do turnover

Como enfatizamos anteriormente, o mais importante não é o turnover em si, mas sim suas causas. Ter colaboradores desligados porque têm um mau desempenho se difere muito de ter talentos se demitindo voluntariamente.

Se as motivações por trás de pedidos de demissão não forem identificadas, será impossível evitá-las. E, obviamente, sua empresa sofrerá com as consequências de uma alta rotatividade, falta de retenção de talentos e custosas contratações.

Sem mais delongas, aqui vão as 5 principais causas de turnover:

Falta de valorização dos funcionários

Acho que esse motivo é, de longe, um dos maiores senão o maior por de trás de uma alta taxa de turnover. Não é incomum, em conversas de trabalho, surgir reclamações sobre não sentir seu trabalho valorizado.

Na verdade, de acordo com uma pesquisa publicada pela Forbes, 66% dos funcionários se demitiriam ao se sentirem desvalorizados. No caso dos millennials, essa taxa pularia para 76%!

Então… Concordamos que se um funcionário não se sente valorizado, ele vai procurar um outro emprego o mais rápido possível, certo?

Metas impossíveis de alcançar

Sua empresa ama traçar metas que sabe que estão muito acima da média de mercado ou da realidade que ela está passando agora? E ainda dá extensos feedbacks – negativos, claro – aos colaboradores que não batem essas metas?

Parabéns, sua empresa está no caminho certo para perder MUITOS talentos!

Entenda:

Pressão descabidas com seus colaboradores traz estresse, o que por si só já torna o ambiente tóxico e despropício a produtividade no trabalho.

Além disso, ao não conseguir alcançar metas consecutivas vezes, obviamente o funcionário se irá se sentir desestimulado, não? Por vezes, ele não terá acesso às desejadas comissões e bônus.

Resumindo: seja razoável nas metas que você traça para seus colaboradores, senão você terá de retorno infindos turnovers.

Ausência de um plano de carreira claro

Atualmente, a instabilidade do mercado é uma grande preocupação dos colaboradores. Vamos ser honestos: as carreiras não estão mais como eram antes.

A realidade de entrar como estagiário numa única empresa e atingir, com o passar do tempo, altos cargos nela é quase que inimaginável.

Mas isso não significa que estabilidade não seja um desejo presente nos trabalhadores do mercado atual. Na verdade, a falta de um plano de carreira claro é um dos principais impeditivos na retenção de talentos.

Coloque-se no lugar de um colaborador sem um plano de carreira claro por um momento:

Você não sabe onde pode chegar na sua empresa. Não sabe por quais etapas deve passar, nem quais são os requisitos para avançar nessas etapas. Você não tem garantia alguma de que vai crescer na empresa, nem sente que está se desenvolvendo.

Acho difícil se sentir engajado assim, né?

Salário e benefícios abaixo da média

Apesar de gostarmos de enfatizar que salários e benefícios não são tudo, seria mentira dizer que eles não têm impacto.

Mas por que o salário tem tanto impacto na vida do colaborador?

Bem, excluindo as razões mais óbvias que vêm primeiro à mente, salários baixos refletem uma desvalorização do funcionário. Afinal, se você paga menos do que um profissional deveria receber, como ele sentirá seu trabalho valorizado?

E, então, ele vai procurar quem valorize seu trabalho.

Ambiente de trabalho tóxico

Apesar de soar idealista demais, uma empresa deve buscar se assemelhar à uma família. Por vezes, o profissional passa mais tempo na sua empresa do que na sua própria casa! Então é essencial proporcionar um ambiente que promove bem estar no trabalho.

Um clima organizacional com desengajamento dentro das equipes, constante conflitos internos e falta de confiança não é um ambiente no qual você gostaria de estar, certo?

Quanto o turnover custa para uma empresa?

Muitas empresas subestimam o real custo de um turnover. Mas por quê?

Um dos principais problemas para se quantificar as perdas financeiras de uma alta rotatividade é porque esta impacta a empresa de diversas formas.

Mas como assim?

O desligamento de funcionários traz prejuízos mais palpáveis como custo para o recrutamento e seleção como:

  • Custo com o recrutamento e seleção de um novo funcionário
  • Pagamento de vários tributos relacionados ao processo de demissão
  • Treinamento para o novo colaborador

Mas o turnover também traz diversos prejuízo de mais difícil mensuração, como:

  • Tempo de adaptação do novo colaborador
  • Impacto na produtividade do time
  • Abalo no clima organizacional

Assim é necessário levar todos esses fatores em consideração na hora de ponderar os prejuízos de um turnover.

Uma estimativa do custo do turnover feita pela empresa de R&S Gupy revelou o retorno do investimento (ROI) quando o colaborador se desliga antes de completar 12 meses na companhia é, em média, de R$ 26.900,00 por funcionário!

Como calcular a taxa de rotatividade

Agora que sabemos o que é turnover, suas causas e mensuramos seu prejuízo, acho que você deve estar perguntando:

Mas como calculo meu turnover?!

A fórmula do turnover é relativamente simples, ela é feita em dois passos, primeiramente faça o seguinte cálculo:

E, então, pegue o resultado dessa operação e faça o seguinte:

calculo-taxa-turnover-2

Mas, caso você esteja com pressa ou números não for muito o seu forte, temos uma boa notícia! Há uma calculadora de turnover disponibilizada pela empresa de RH Solides.

Impacto negativo da rotatividade de funcionários

Após ler os tópicos anteriores, acredito que você já tenha uma boa ideia do quão negativo o turnover pode ser para a sua empresa. Mas, de forma mais objetiva, vamos listar aqui os 10 maiores impactos de uma alta taxa de rotatividade:

  1. Custos com benefícios e burocracia do processo de demissão
  2. Perda de grandes talentos
  3. Impacto negativo no Employer Branding da sua empresa
  4. Gastos ligados ao Recrutamento e Seleção para as vagas abertas
  5. Desembolso para o treinamento dos colaboradores novos
  6. Piora na produtividade do time
  7. Possível efeito em cascata de demissões
  8. Comprometimento do clima organizacional
  9. Declínio do capital intelectual da instituição
  10. Sobrecarga dos outros funcionários do time

Como diminuir o turnover

Ao chegar no final desse post, acredito que o que você realmente quer saber agora é como diminuir sua taxa de turnover. Afinal, agora você já sabe o quão custoso e prejudicial uma alta taxa de rotatividade pode ser.

Então, vamos a 4 maneiras fundamentais para diminuir seu turnover:

Boas estratégias de R&S

Estratégias adequadas de Recrutamento e Seleção são a chave para não deixar o turnover sequer ser uma opção. Isso porque, por meio da contratação de funcionários com fit cultural, as chances dele desengajar são reduzidas exponencialmente.

Modelos de gestão conscientizados

Como já sabemos, uma das principais causas de turnover é um relacionamento de gestor-gerido ruim. Assim, além da promoção de treinamentos para capacitar líderes na sua empresa, é preciso promover um modelo de gestão humanizado.

Melhora nos relacionamentos

Outro grande ponto-chave na redução das demissões é ser cuidadoso com a forma que os relacionamentos se dão na empresa. Promover um clima organizacional agradável, bem estar no trabalho e dinâmicas em grupo são alguns exemplos. Assim, o time não só terá uma melhora em sua sinergia, mas vão aprender a confiar mais um no outro.

Atenção na cultura da empresa!

Instituir uma cultura da empresa que incentive, mesmo que de forma indireta, estresse e mal estar no trabalho é um baita tiro no pé! Práticas coercivas, pressão constante  e críticas não construtivas estão entre as práticas mais tóxicas dentro de uma organização.

Pronto para reduzir sua rotatividade?

Saber o que é turnover, suas causas e consequências faz parte do dia a dia do RH e gestores. Essa deve ser uma preocupação central, pois a retenção de talentos é uma prática extremamente benéfica para uma instituição.

Com pequenas mudanças, como a melhora do clima organizacional e dos relacionamentos dentro da empresa, é possível sair da margem de perigo na taxa de turnover.

Acredito que você não queira ter altos prejuízos com diversas demissões e perda de talentos, certo? Então coloque em prática o que você aprendeu aqui!

Alguma dúvida e/ou sugestão? Então deixe um comentário! Ficaremos felizes em falar com você. 🙂