1. Bem estar no trabalho: seus colaboradores estão MESMO felizes?
  2. ETALENT: 4 dicas para automatizar a operação e ter um DP estratégico
  3. RH estratégico: a tendência de mercado que você precisa conhecer
  4. Benefícios Trabalhistas válidos para o final do ano: quais são?
  5. Conheça as Consequências de um Mau Recrutamento
  6. HR Insights apresenta: Mark Roberge
  7. Contratar em marketing digital: como saber se um candidato tenta enrolar?
  8. Melhores estratégias de recrutamento e seleção
  9. Por que as pessoas trabalham?
  10. Produtividade na Empresa: o impacto da qualidade de vida dos funcionários
  11. Business partner: o que é e como você pode se preparar para assumir essa posição
  12. Recrutamento e Seleção: o que é? Do básico ao avançado
  13. Conteúdo prático e de alto nível para RHs que não se contentam em ser operacionais
  14. RH estratégico: Por que você ajuda a sua empresa crescer e a sua carreira decolar?
  15. Porque o RH deve parar de responder ao CFO em 2018
  16. 7 sinais de que a sua empresa não faz os funcionários se sentirem valorizados
  17. Um guia de sustentabilidade para RHs que querem ser protagonistas no tema – Por Ricardo Voltolini
  18. Atração e retenção de talentos na empresa
  19. Outplacement: o que é e como conduzir da melhor forma?
  20. Panorama de RH no Brasil busca gerar novas percepções para profissionais da área
  21. Empresas de headhunteres: ajudam no recrutamento e…
  22. Seleção de pessoal: o que é, objetivos e diferença entre recrutamento
  23. Técnicas de Recrutamento e Seleção: como recrutar e selecionar no mercado de 2019?
  24. Como um plano de carreira pode motivar a sua equipe?
  25. Técnicas para uma boa gestão de pessoal: 7 dicas para uma gestão de sucesso
  26. Salário emocional: como motivar funcionários através da remuneração?
  27. Inteligência de mercado – saiba o que é e como identificar em um candidato
  28. Engajamento e colaboração na empresa
  29. [Vídeo] People.Tech – Gestão e Cultura Organizacional
  30. Recrutamento — o terceiro atributo crucial de uma startup
  31. Por que decidimos focar em contratações de marketing, vendas e sucesso do cliente?
  32. Gestão de Pessoas: seis processos para você conhecer
  33. 6 Insights de profissionais que estão moldando um novo cenário de RH
  34. One to One
  35. Indicadores de recrutamento e seleção
  36. Curso soft skills
  37. People.Tech: Aquisição e Desenvolvimento de Talentos
  38. Ferramentas para RH gratuitas
  39. Como Identificar Talentos
  40. Recrutamento Online: o que é e vantagens
  41. Talentos: Identificar, recrutar e selecionar
  42. GuestPost: O poder das redes sociais para recrutar profissionais de excelência
  43. Recrutamento externo: Vantagens e desvantagens
  44. Tipos de Recrutamento: Interno, externo, misto ou online?
  45. Seleção por competências: O que é, benefícios e como fazer.
  46. Recrutamento e seleção em quatro passos: Como funciona a área de Operações da TalentBrand (e porque ela é fundamental para os resultados)
  47. Feedback no processo seletivo: qual é a importância?
  48. Job description: passo a passo para elaborar
  49. Consultoria de RH – O que é e quais tecnologias substituem?
  50. TalentHacks #2 – 9 hacks que você nunca imaginou que ajudariam a reter seus talentos (Por 9 grandes especialistas)
  51. Inteligência Artificial no Recrutamento: o que muda?
  52. 3 vantagens ao contratar líderes através de uma empresa de recrutamento e seleção
  53. Headhunters: o que são e como eles podem ajudar sua empresa
  54. Banco de talentos: 5 vantagens em contratar empresas de recrutamento
  55. Startup e Recrutamento pelos olhos de um grande investidor americano
  56. Recrutamento e Seleção na empresa: 5 motivos para otimizar
  57. Ferramentas de vendas: 7 para começar a usar agora!
  58. O que é o modelo de gestão por competência
  59. O que recrutar tem a ver com vender? | O processo seletivo e seu principal erro
  60. Processos seletivos – cases de sucesso: atração de talentos na Google e Ambev
  61. Softwares para o RH: os melhores para a sua empresa
  62. Como contratar bem? 10 erros para passar longe
  63. Talent Acquisition e Employer Brand em números
  64. Employer Branding e a influência do processo seletivo
  65. Recrutamento com tecnologia: as novas tecnologias e como isso afeta a sua área
  66. Diplomas versus talento: o que priorizar no recrutamento
  67. RH em startups: quando é necessária uma área de RH?
  68. Budget de Recrutamento: O que incluir no recrutamento de marketing e vendas?
  69. Marketing e Vendas: como conseguir os melhores profissionais?
  70. Como avaliar candidatos em entrevistas feitas por videoconferência
  71. Retenção de Talentos: Como reter jovens talentos na sua empresa
  72. Como contratar um consultor de vendas usando simulação
  73. Livros para RH: 5 obras imprescindíveis para você
  74. Como Contratar Vendedores – O Guia Completo
  75. Customer Success: o Sucesso do Cliente em Foco
  76. Como Treinar e Rampar Times de Alta Performance
  77. Time de Vendas de Alta Performance
  78. Experiência do candidato: descubra como nunca mais perder talentos!
  79. Como Melhorar a Experiência de Candidatos
sexta-feira, janeiro 18, 2019
  1. Bem estar no trabalho: seus colaboradores estão MESMO felizes?
  2. ETALENT: 4 dicas para automatizar a operação e ter um DP estratégico
  3. RH estratégico: a tendência de mercado que você precisa conhecer
  4. Benefícios Trabalhistas válidos para o final do ano: quais são?
  5. Conheça as Consequências de um Mau Recrutamento
  6. HR Insights apresenta: Mark Roberge
  7. Contratar em marketing digital: como saber se um candidato tenta enrolar?
  8. Melhores estratégias de recrutamento e seleção
  9. Por que as pessoas trabalham?
  10. Produtividade na Empresa: o impacto da qualidade de vida dos funcionários
  11. Business partner: o que é e como você pode se preparar para assumir essa posição
  12. Recrutamento e Seleção: o que é? Do básico ao avançado
  13. Conteúdo prático e de alto nível para RHs que não se contentam em ser operacionais
  14. RH estratégico: Por que você ajuda a sua empresa crescer e a sua carreira decolar?
  15. Porque o RH deve parar de responder ao CFO em 2018
  16. 7 sinais de que a sua empresa não faz os funcionários se sentirem valorizados
  17. Um guia de sustentabilidade para RHs que querem ser protagonistas no tema – Por Ricardo Voltolini
  18. Atração e retenção de talentos na empresa
  19. Outplacement: o que é e como conduzir da melhor forma?
  20. Panorama de RH no Brasil busca gerar novas percepções para profissionais da área
  21. Empresas de headhunteres: ajudam no recrutamento e…
  22. Seleção de pessoal: o que é, objetivos e diferença entre recrutamento
  23. Técnicas de Recrutamento e Seleção: como recrutar e selecionar no mercado de 2019?
  24. Como um plano de carreira pode motivar a sua equipe?
  25. Técnicas para uma boa gestão de pessoal: 7 dicas para uma gestão de sucesso
  26. Salário emocional: como motivar funcionários através da remuneração?
  27. Inteligência de mercado – saiba o que é e como identificar em um candidato
  28. Engajamento e colaboração na empresa
  29. [Vídeo] People.Tech – Gestão e Cultura Organizacional
  30. Recrutamento — o terceiro atributo crucial de uma startup
  31. Por que decidimos focar em contratações de marketing, vendas e sucesso do cliente?
  32. Gestão de Pessoas: seis processos para você conhecer
  33. 6 Insights de profissionais que estão moldando um novo cenário de RH
  34. One to One
  35. Indicadores de recrutamento e seleção
  36. Curso soft skills
  37. People.Tech: Aquisição e Desenvolvimento de Talentos
  38. Ferramentas para RH gratuitas
  39. Como Identificar Talentos
  40. Recrutamento Online: o que é e vantagens
  41. Talentos: Identificar, recrutar e selecionar
  42. GuestPost: O poder das redes sociais para recrutar profissionais de excelência
  43. Recrutamento externo: Vantagens e desvantagens
  44. Tipos de Recrutamento: Interno, externo, misto ou online?
  45. Seleção por competências: O que é, benefícios e como fazer.
  46. Recrutamento e seleção em quatro passos: Como funciona a área de Operações da TalentBrand (e porque ela é fundamental para os resultados)
  47. Feedback no processo seletivo: qual é a importância?
  48. Job description: passo a passo para elaborar
  49. Consultoria de RH – O que é e quais tecnologias substituem?
  50. TalentHacks #2 – 9 hacks que você nunca imaginou que ajudariam a reter seus talentos (Por 9 grandes especialistas)
  51. Inteligência Artificial no Recrutamento: o que muda?
  52. 3 vantagens ao contratar líderes através de uma empresa de recrutamento e seleção
  53. Headhunters: o que são e como eles podem ajudar sua empresa
  54. Banco de talentos: 5 vantagens em contratar empresas de recrutamento
  55. Startup e Recrutamento pelos olhos de um grande investidor americano
  56. Recrutamento e Seleção na empresa: 5 motivos para otimizar
  57. Ferramentas de vendas: 7 para começar a usar agora!
  58. O que é o modelo de gestão por competência
  59. O que recrutar tem a ver com vender? | O processo seletivo e seu principal erro
  60. Processos seletivos – cases de sucesso: atração de talentos na Google e Ambev
  61. Softwares para o RH: os melhores para a sua empresa
  62. Como contratar bem? 10 erros para passar longe
  63. Talent Acquisition e Employer Brand em números
  64. Employer Branding e a influência do processo seletivo
  65. Recrutamento com tecnologia: as novas tecnologias e como isso afeta a sua área
  66. Diplomas versus talento: o que priorizar no recrutamento
  67. RH em startups: quando é necessária uma área de RH?
  68. Budget de Recrutamento: O que incluir no recrutamento de marketing e vendas?
  69. Marketing e Vendas: como conseguir os melhores profissionais?
  70. Como avaliar candidatos em entrevistas feitas por videoconferência
  71. Retenção de Talentos: Como reter jovens talentos na sua empresa
  72. Como contratar um consultor de vendas usando simulação
  73. Livros para RH: 5 obras imprescindíveis para você
  74. Como Contratar Vendedores – O Guia Completo
  75. Customer Success: o Sucesso do Cliente em Foco
  76. Como Treinar e Rampar Times de Alta Performance
  77. Time de Vendas de Alta Performance
  78. Experiência do candidato: descubra como nunca mais perder talentos!
  79. Como Melhorar a Experiência de Candidatos

O avanço da tecnologia e a franca valorização do capital humano, seria difícil pensar que a dinâmica de trabalho não mudaria. Não somente isso, mas quando falamos sobre como organizar e desenvolver estrategicamente a gestão de pessoas, um conceito deve vir à nossa cabeça: RH estratégico.

Nos últimos anos, essa corrente dos recursos humanos vem ganhando cada vez mais destaque, pois ela se molda às necessidades das empresas contemporâneas: une estratégias, indicadores e métricas com o conhecimento de gestão de pessoas.

Apesar da sua nítida importância, muitos profissionais ainda têm dúvidas quanto às definições teóricas e práticas dessa nova forma de fazer recursos humanos. Pensando nisso, a Talentbrand elaborou um post para desmistificar um pouco essa nova tendência que está dando o que falar!

Aqui você vai descobrir:

  • O que é RH Estratégico?
  • O papel do RH nas empresas
  • RH Estratégico x RH Operacional
  • RH Estratégico nas Organizações
  • A importância do RH Estratégico na sua carreira
  • Você tem um mindset estratégico?
  • Planejamento de Recursos Humanos
  • Recursos Humanos Estratégico: planejamento segundo Chiavenato
  • Dificuldades à vista: como mostrar a importância do RH estratégico?
  • Como Implantar o RH Estratégico?
  • Apresentação dos resultados: principais métricas para ficar olho
  • Wrap up

O que é RH estratégico?

O RH Estratégico é um daqueles conceitos que, apesar de serem amplamente difundidos, poucos tomam o tempo para explicar exatamente o que é. E não é para menos: essa nova maneira de fazer recursos humanos é composta por muitos elementos, sendo alguns deles – quase que – inéditos na área.

Com o protagonismo adquirido pelos colaboradores como principal riqueza de uma empresa, é natural pensar que a gestão de pessoas ganhou muito mais importância. Além disso, a valorização de métricas, indicadores e dados também se fez fortemente presente. E é nesse contexto que o RH estratégico foi concebido.

Na prática, “recursos humanos estratégico” atua ativamente na tomada de decisões para os diversos setores e, por fim, da empresa em si. Ou seja: o RH será responsável por combinar medidas que encaixam o potencial dos colaboradores com metas e objetivos da empresa.

Além disso, são responsáveis por trabalhar com métricas e indicadores que tornem essa associação mais clara no ponto de vista de negócios, pois trabalharão diretamente com executivos.

O papel do RH nas empresas

Como já discutido melhor no tópico anterior, com as novas tendências de mercado, como a valorização do capital humano, é natural que a área de RH ganhe um grande destaque.

Mas, afinal, o que se é esperado de um RH nas empresas? Quais são os principais pilares do RH atual? Essas são boas perguntas que têm grande prioridade em estarem explicadas e fixas na mente de qualquer gestor de pessoas e, também, empresário!

Apesar dessas perguntas parecerem complicadas, suas respostas já estão bem estabelecidas na área de recursos humanos!

Vamos por partes: o papel do RH numa empresa atualmente não é o mesmo de há anos atrás. Hoje em dia é esperado que um gestor de pessoas consiga cuidar tanto da parte de aquisição e retenção de talentos e fortalecimento e difusão da cultura de uma empresa, quanto do planejamento estratégico para metas de negócios.

Por isso, podemos falar com firmeza que o papel de um setor ou profissional de recursos humanos atualmente é o de gerir de forma estratégica os colaboradores e, consequentemente, a riqueza em termos humanos de uma empresa.

Confuso? Exemplificaremos: em vez do RH receber de forma passiva demandas de contratação depois de um colaborador já ter saído de um cargo, ele age de forma preventiva tanto para evitar que colaboradores saiam, quanto com a busca clara de talentos que tenham fit cultural com a instituição e, similarmente, na promoção de uma boa marca empregadora.

Também podem agir na plotagem de projetos executivos, por saberem tanto do que a empresa precisa quanto como fornecer tais requisitos em questões humanas. Ou seja: o profissional de recursos sabe associar metas e métricas de setores com os profissionais que lá atuam e seu potencial de trabalho.

 RH Estratégico vs RH Operacional

É natural que com o surgimento de diferentes vertentes, confusões possam surgir. No caso, uma dúvida comum que surge na mente das pessoas é: qual a diferença entre o RH estratégico e o RH Operacional – também conhecido como um RH tradicional.

Vale ressaltar também que uma boa forma de entender um conceito é diferenciá-lo de outros similares. Portanto, essa distinção se faz bastante pertinente para discussão que estamos tendo.

Indo um pouco mais direto ao ponto, a pergunta principal é: como o RH passou de uma área administrativa – vista como operacional, burocrática e de apoio – para um setor tão estratégico?

De forma objetiva, o profissional de RH Operacional, como o próprio nome já diz, cuida de procedimentos muito mais braçais e/ou burocráticos, sendo ele um ator passivo dentro da instituição.

É o clichê de um funcionário de recursos humanos: um profissional que cuida o dia inteiro de procedimentos como seleção, contratação e pagamento de funcionários, além, é claro, de longas listas de documentações.

Hoje em dia, isso seria considerado pelos profissionais referência na área um desperdício do real potencial do setor de recursos humanos. No fim das contas, somos nós que estamos trabalhando diretamente com a maior riqueza de uma empresa: seus colaboradores.

Com essa necessidade de tornar o RH estratégico, surgiu a própria corrente do “RH estratégico”, sendo este integrado às partes mais executivas das empresas, estipulando uma relação de troca entre as necessidades dos colaboradores com demandas de mercado.

RH Estratégico nas Organizações

Depois de passarmos pela definição de RH estratégico, do papel do RH nas empresas e da diferenciação entre o novo RH estratégico e o antiquado RH Operacional, chegamos ao coração da discussão: o que um RH estratégico pode oferecer à uma organização?

Ora, não é difícil imaginar o quão benéfico pode ser para uma instituição ter um setor de recursos humanos que, ao mesmo tempo que cuida da satisfação, retenção e desenvolvimento de talentos, consegue associá-los numa plotagem de planos de negócios e metas, além de encaixá-los em métricas da empresa.

O RH estratégico consegue de forma ativa, não só como mediador das necessidades dos colaboradores e planos e expectativas da empresa, mas também na própria discussão, avaliação e proposição de caminhos que certos setores devem – e conseguem! – tomar. Caminhos que beneficiam ao empresário, aos funcionários e, consequentemente, ao próprio setor de RH.

A importância do RH Estratégico na sua carreira

Depois de discutirmos sobre como implementar um RH mais estratégico e que práticas correspondem a essa nova vertente, precisamos cobrir um ponto-chave para você! Como o recursos humanos estratégico pode fazer sua carreira decolar?

Comecemos pelo óbvio, que está contido no próprio nome dessa corrente: trata-se de uma posição estratégica. Portanto, é natural que ao ocupar uma posição mais estratégica, você assumirá consequentemente um papel de maior importância na empresa.

Ou seja, entrando em uma camada mais profunda, você adquire uma participação direta e ativa na tomada de decisões, assim como profissionais de cargos executivos. Ademais, pense: quanto mais valor estratégico você tiver numa organização, mais você será visto como indispensável e/ou agregador!

De acordo com um artigo feito pelo site BambooHR, um RH com mindset mais estratégico pode ter seu valor triplicado para os tomadores de decisões de uma empresa. E, ainda, esse profissional pode ter um aumento de 38% no impacto da elaboração de estratégias de negócios.

Você tem um mindset estratégico?

Bom, depois de entender o impacto que um mindset mais estratégico pode ter no crescimento da sua carreira, você deve estar se perguntando se está caminhando na direção certa. Vamos lá!

Há ao menos 3 competências para você ser considerado um profissional com uma mentalidade de sucesso e são elas:

  1. Capacidade de obter e analisar dados
  2. Capacidade de criar em cima de dados e necessidade
  3. Capacidade de articular e argumentar seus pensamentos

Uma explicação sucinta de todas elas:

Obter e analisar de dados

O acesso aos dados pela instituição permite insights para tomadas de decisões que podem mudar toda a estratégia da empresa e delimitar o tradicional que funciona bem do moderno que alavanca a empresa. Tem curiosidade de entender melhor como isso funciona? Confira um texto interessantíssimo da Exame falando sobre a cultura Data Driven.

Criar associando dados e necessidades

Não adianta ter dados e não saber como usá-los a seu favor, não é mesmo? Tão crucial – ou até mais! –  que saber identificar tendências, é a capacidade de criar estratégias em cima do que você sabe e do que a sua empresa precisa.

Pense no caso da uber: o serviço não nasceu ao acaso, nem sua precificação foi feita sem algum embasamento financeiro. Eles se debruçaram sobre as problemáticas que os usuários de táxi tinham para elaborar seu negócio.

“Mas o que o RH estratégico tem a ver com isso?” O papel do recursos humanos estratégico é obter e analisar dados, como, por exemplo, da precificação em cima do motorista e propor como melhorá-los. Assim, foi obtida uma precificação que fosse satisfatória tanto para os funcionários – motoristas – quanto para a empresa se destacar pelos seus preços mais acessíveis.

Articular e argumentar pensamentos

Ora, aqui chegamos ao “passo final” desse mindset estratégico. Apesar de você já possuir as informações e ter traçado uma proposta em cima delas, não é possível colocar em prática se você não consegue articular suas ideias. Então, é necessåria a discussão das suas ideias com pessoas que trabalham com você, como gestores dos setores envolvidos em seu plano. Falaremos mais sobre planejamento no tópico seguinte.

Planejamento de Recursos Humanos

Toda organização, por mais nova ou disruptiva que seja, precisa de um planejamento do que pretende ser implantado a curto e médio prazo. É preciso estabelecer metas para serem alcançadas, para assim serem instituídas ações visando as suas realizações.

Como já abordamos anteriormente, o  RH estratégico age em parceria com outros setores, de forma a plotar, por iniciativas próprias, planos que casem com a necessidade da empresa. Portanto, assim como planejamento é vital para os executivos, ele é vital para um profissional de recursos humanos estratégico.

Aqui serão listadas algumas medidas que podem ser guias em seu planejamento de recursos humanos:

  • Saber profundamente os objetivos e metas da empresa
  • Análise de desempenho de setores e/ou times
  • Estipulação de ações visando melhorias
  • Ter conhecimento da dimensão de esforços gastos em uma ação
  • Promoção de treinamentos e acompanhamento de desenvolvimento
  • Oferecimento de feedbacks e análise do clima organizacional
  • Administração do bem estar físico, psicológico e emocional

Quer entender de forma mais detalhada o passo a passo de um planejamento de RH acontece? Confira o tópico a seguir!

Recursos Humanos Estratégico: planejamento segundo Chiavenato

Na área de planejamento de RH, muito se fala nas teorias do autor Chiavenato. Suas orientações para se implementar um planejamento estratégico em uma instituição são muito didáticas e detalhadas, dando a ele, assim, um destaque muito merecido.

Um pouco sobre Idalberto Chiavenato

Nas áreas de administração e recursos humanos, um dos nomes nacionais que aparece em maior peso é o de Idalberto Chiavenato. Paulista, ele é uma figura de destaque e grande prestígio pela autoria de diversos livros e elaboração de teorias nesses dois setores.

De acordo com o site etalent, aqui estão algumas das conquistas atribuídas ao consagrado autor Chiavenato:

  • Fundador e presidente do Instituto Chiavenato;
  • Doutor e mestre em Administração;
  • Especialista em Administração de Empresas;
  • Graduado em Filosofia/Pedagogia;
  • Especialista em Psicologia Educacional;
  • Especialista em Direito pela Universidade Mackenzie;
  • Recebeu vários prêmios, dentre eles a comenda de Recursos Humanos da ABRH-Nacional e Doutor Honoris Causa na América Latina.

Planejamento Estratégico por Chiavenato

Para Chiavenato “O planejamento é a primeira das funções administrativas e é a que determina antecipadamente quais são os objetivos a serem atingidos e como alcançá-los”.

Ou seja, o planejamento se constitui na primeira função do processo administrativo, permitindo o estabelecimento dos objetivos organizacionais em função dos recursos necessários para atingi-los de maneira eficaz.

Sem mais delongas, podemos dizer que o planejamento estratégico, segundo Chiavenato (2004, p. 203), possui cinco características que lhes são essenciais:

  • Relaciona-se com a adaptação da organização a um ambiente mutável: refere-se às relações entre a organização e seu ambiente e às suas incertezas. As decisões são fundamentadas em suposições e não em fatos reais, como reações às pressões do seu ambiente externo;
  • Dirige-se para o futuro: o delineamento é dirigido para o longo prazo, sendo que as estimativas aos problemas presentes servem para estipular o quanto esses podem obstaculizar os resultados futuros;
  • É compreensivo: esse abrange a organização de forma sistêmica, de modo a compreender todas as suas potencialidades e capacidades;
  • Processo de construção de consenso: em função dos interesses e necessidades dos envolvidos, o planejamento estratégico considera a todos de modo consensual;
  • Uma forma de aprendizagem organizacional: em função de dirigir a organização à adaptação ao ambiente, representa uma forma de aprendizagem constante ao moldar-se ao ambiente complexo, mutável e competitivo.

Depois de obtermos todas as ferramentas necessárias para implementar um planejamento estratégico fora de série, deparamos-nos com uma dificuldade: como convencer sua empresa que um RH estratégico é importante? Para ajudá-lo a resolver esse problema, elaboramos o tópico a seguir. Acompanhe!

Dificuldades à vista: como mostrar a importância do RH estratégico?

Apesar do capital humano estar ganhando destaque nos últimos anos e, estar nítido que a maioria das áreas andam se modificando e aprimorando, muitos ainda custam a entender a importância do RH estratégico. Isso porque, além dos estigmas em relação a esse setor que foi alimentado por anos, também há ainda uma imaturidade do mercado brasileiro com aspectos como soft skills, employer branding, fit cultural, entre outros.

Pensando nisso, fizemos um esquema bem prático para você conseguir articular na sua empresa por que o RH estratégico é tão crucial para o crescimento dela como um todo:

Como Implantar o RH Estratégico?

A implantação do RH estratégico é um tema um tanto quanto delicado. Isso porque é preciso, por parte do setor e dos profissionais de recursos humanos, uma sensibilidade e grande tato para equilibrar dois fatores por vezes conflitantes entre si: ações estratégicas e proximidade com os colaboradores.

Difícil entender a complexidade? Acompanhe conosco: para um RH ser estratégico, é preciso que ele concilie metas de negócios com bem estar dos funcionários, certo? Então, na prática, é preciso mediar entre uma empresa que quer crescer e desenvolver-se cada vez mais, com o cuidado ao bem estar físico, psicológico e emocional dos colaboradores.

Por isso, para ajudá-los nesse caminho tortuoso, são sugeridas as seguintes 5 medidas para, de forma saudável e equilibrada, saber como implantar um RH estratégico:

  1. Entendimento da gestão de pessoas estratégica
  2. Parceria com outros gestores (lideranças)
  3. Alinhamento estratégico na organização como um todo
  4. Planejamento estratégico de recursos humanos
  5. Implementação e acompanhamento de KPIs para RH

Você já entendeu, nesse post, sobre a gestão estratégica de pessoas, além do planejamento de RH estratégico. Mas, agora chegou o momento de vermos a fundo outra engrenagem crucial para o recursos humanos estratégico: suas principais métricas e indicadores de RH. Acompanhe no próximo tópico. 🙂

Apresentação dos resultados: principais métricas para ficar olho

Como mencionamos ao longo de todo esse post, um dos principais ponto-chave de um RH estratégico é a implementação de métricas e indicadores. Com tais medidas, é possível analisar, comparar e planejar o desempenho de setores ou até funcionários individualmente em ações que envolvem os objetivos gerais da empresa como um todo.

Assim, separamos aqui um material bem legal da HMC Consulting as métricas mais cruciais para um profissional de recursos humanos que deseja agir de forma estratégica acompanhar:

Headcount

Essa métrica contabiliza e classifica o número de colaboradores da empresa em função de fatores como idade, sexo, nível salarial, escolaridade, etc. Ela permite traçar o perfil da empresa, de maneira que o RH tenha informações mais precisas sobre setores e funcionários.

Absenteísmo

Pelo nome já é possível adivinhar sobre o que é essa métrica, certo? Ela mede a quantidade de faltas dos colaboradores. Nela, existe um percentual em função das ausências e a quantidade total de horas.

Turnover

Turnover, também conhecido como taxa de rotatividade, compara a quantidade de funcionários que saíram da empresa com a quantidade total de colaboradores presentes na organização. Com ela, é possível avaliar se a companhia tem perdido mais funcionários do que deveria ou não.

É importante medir o Turnover para manter sob controle quantos talentos você pode estar perdendo e, se necessário, desenvolver políticas de retenção antes da empresa sofrer grandes e irremediáveis perdas.

Clima Organizacional

A pesquisa do clima organizacional possibilita que você obtenha, compile e avalie a opinião de cada um dos colaboradores a respeito de aspectos como comunicação interna, possibilidades de desenvolvimento profissional, benefícios, reconhecimento, entre outros. Assim, é possível desenvolver ações para melhorar o ambiente e evitar problemas como a saída de profissionais.

Wrap up!

Muito se fala sobre o RH estratégico e com motivo! Depois de ter lido esse post, esperamos que seja possível notar com clareza o porquê dessa nova maneira de fazer recursos humanos está em tanto destaque.

Compilando dados, métricas, estatísticas, tendências de mercado e uma visão analítica, com a gestão estratégica de pessoas e atenção ao bem estar e felicidade dos funcionários, é impossível não ter uma empresa que cresce e destaca-se!

Assim, não só será possível fazer um planejamento de RH estratégico, mas promover e monitorar ações que beneficiarão a organização como um todo, além de contribuir com o desenvolvimento de times e, até, de profissionais individualmente. Promovendo uma cultura de criatividade e um bom clima organizacional, será possível atrair e reter talentos de forma altamente efetiva.

Esse post te ajudou? Então não deixe de conferir outros conteúdos no nosso blog! 🙂


Se você gostou desse post, também vai gostar:

Recrutamento e Seleção: do básico ao avançado

Por que as pessoas trabalham?

Como contratar bem? 10 erros para passar longe